• Sobre
  • Currículo
Umberto Costa Barros

Utilizando materiais crus como caixas de gordura, manta asfáltica, manta impermeabilizante, pás e outros, recorrendo a apropriações e criando objetos novos, ele traz para a arte o mundo do trabalho.

Nasceu no Rio de Janeiro, em 1948. Cidade em que vive e trabalha.

Umberto Costa Barros é formado em arquitetura pela FAU/UFRJ, Rio de Janeiro.
Como artista plástico de formação autônoma, teve participação em salões e eventos na passagem das décadas de 60 e 70, como a mostra “Do Corpo à Terra”, o SNAM, o Salão de Verão no MAM RJ, que foram decisivos para o desenvolvimento futuro da arte contemporânea.
Seus trabalhos denotaram as contradições e embates da sociedade assolada pela ditadura, alem de revelar, em suas intervenções; os diversos processos de transformação da linguagem pelos quais passava a arte brasileira.
Lecionou no curso de arquitetura da Universidade Santa Ursula, e na EBA/UFRJ, ambas no Rio de Janeiro.
Como tônica geral de seus trabalhos vem desenvolvendo pesquisas, em diversos suportes, conectadas às interfaces entre arte, arquitetura e fenômeno urbano.

Exposições Individuais
2008

O Branco e o Negro, Artur Fidalgo Galeria, Rio de Janeiro

2005

e_isso – Centro Cultural Sérgio Porto, Rio de Janeiro

1997

BANCODOBRASIL – Centro Cultural Banco do Brasil, CCBB, Rio de Janeiro

1985

INDIVIDUAL – Centro de Artes da Prefeitura de Nova Friburgo e Grupo Cabra, Nova Friburgo, RJ

1983

Instalação Infinito, Parque da Catacumba, RioArte, Rio de Janeiro

1975

AT-MAM, Museu de Arte Moderna, Sala Experimental do MAM, Rio de Janeiro

Exposições Coletivas
2008

# – FEBEARio – GrupoPy, Centro Cultural Sérgio Porto, Rio de Janeiro

2003

Panorama da Arte Brasileira,[desarrumado] 20 Desarranjos, MARCO-VIGO, Vigo, Espanha

Panorama da Arte Brasileira, [desarrumado] 19 Desarranjos, Paço Imperial, Rio de Janeiro

Panorama da Arte Brasileira, [desarrumado] 19 Desarranjos, MAMAM, Recife
Panorama da Arte Brasileira, [desarrumado] 19 Desarranjos, MAM/SP, São Paulo

2002

Caminhos do Contemporâneo 1952/2002, Paço Imperial / Minc / Iphan, Rio de Janeiro

2000

Situações Arte Brasileira, Casa França-Brasil, Rio de Janeiro

1999

(Reinauguração do Sérgio Porto) – Coletiva de Reinauguração do Sérgio Porto, Espaço Cultural Sérgio Porto, Rio de Janeiro

1986

Depoimento de uma geração 1969-1970, Galeria de Arte Banerj, Rio de Janeiro

1984

3000 M3 – Pré-inauguração do Espaço Cultural Sérgio Porto, RioArte, Galpão Humaitá, Rio de Janeiro

1983

Instalação Infinito, Parque da Catacumba, Rio Arte, Rio de Janeiro

1975

Novas Tendências, Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, São Paulo

1974

Poemação, Museu de Arte Moderna MAM, Aterro do Flamengo, Rio de Janeiro

1972

IV Salão de Verão, Jornal do Brasil, Light, Museu de Arte Moderna – MAM/RJ , Rio de Janeiro

1970

II Salão de Verão, Jornal do Brasil Banco Andrade Arnaud, Museu de Arte Moderna – MAM, Rio de Janeiro

XIX SNAM, Salão Nacional de Arte Moderna, Ministério da Educação e Cultura, Museu de Arte Moderna – MAM/RJ, Rio de Janeiro

“Do Corpo à Terra”, Manifestação de Vanguarda, Parque Municipal de Belo Horizonte, Palácio das Artes, Séc. Estadual Hidrominas, Belo Horizonte

Poema Ambiental, II Festival de Poesia de Cataguases, MG

1969

III Salão de Artes Plásticas do Diretório Acadêmico Atílio Corrêa Lima – DAACL
da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFRJ. 1° prêmio, Rio de Janeiro