22 Jun - 22 Ago2009
Iran do Espírito Santo
Iran do Espírito Santo

Em toda sua obra, Iran faz uso dos códigos de representação como instrumento crítico e auto-reflexivo da arte, da percepção, e de valores correntes na sociedade industrial. São na maioria representações miméticas de objetos cotidianos mas que visam driblar a percepção, criando possibilidades de releituras do real e do senso comum.

A pintura mural, intitulada “En Passant 4” foi concebida para o espaço da galeria, sendo parte de uma série de intervenções iniciadas em 2008 e apresentadas em galerias e instituições.  En Passant tece um comentário sobre o sistema vigente  da arte contemporânea em toda sua pressa consumista. Alinhado aos valores plásticos reducionistas, Iran nos apresenta uma grande escala de tons de cinzas que remetem à testes feitos em laboratórios de fotografia em preto e branco. É uma retificação da incidência da luz que busca um controle rígido, mas que talvez nos leve a  questionar o próprio contexto da arte de hoje e nos coloque bem no centro de uma ausência crônica.