Capa Interna Zenite Eduardo Scatena.jpeg

Zênite
23.06 - 18.07.2022

Um Colóquio Imaginário

*  Só tem isso?

~  O que você esperava encontrar?

*  Não sei, mas sinto uma ausência aqui.

 

~  Como?

*  Sinto algo que não sei muito bem definir, aqui só vejo cores e luzes.

~  E não te dizem nada?


*  Não há ruídos, é silencioso, calmo e relaxante. É provocativo.

 

~  Ah sim, nisso concordo, provoca sensações.

 

*  Me fazem sentir alguma coisa, mas não consigo dar nome.

 

~  E os sentimentos precisam ter nome?
Precisam de classificação, assim como os objetos?

 

*  Mas como eu vou saber o que cada uma representa:
alegria, tristeza, o que devo sentir?

 

~ Isso importa? Não basta o sentir em si?

 

*  Então essa sensação que estou tendo não precisa ser explicada?!
Basta que me toque de alguma maneira?

~  E não é aí que a Arte chega? No inexplicável, ou teria algo mais?

 

*  Não sei, algo como um flerte entre o artista e o infinito, a eternidade; o que me diz?

 

~  Sobre o artista ou a eternidade?

*  Ambos.

 

~  Não seria a eternidade um simples eco no pensamento?

*  Como assim?

 

~  A história tem como base relatos de acontecimentos, reais ou imaginários.
Para onde iriam todos esses fatos com o fim da civilização? Consegue imaginar?


*  Não, mas me deixou confuso. Tem como simplificar?

 

~  Suponhamos que o sol se apagasse, como a eternidade se manteria, senão como um dado efêmero de caráter cultural?

 

*  Então você acha que a eternidade é um eco no pensamento?

~  Aí já não sei...

Bob N e Paulo Nagao
Rio de Janeiro, Maio de 2022.